Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Da forma como leio o mundo

Da forma como leio o mundo

06
Nov19

Sessão 3

Bárbara
- Estás com uma expressão triste e perdida... O que estás a pensar?
- Fui passear com a minha mãe e quando retomei ao trabalho senti um aperto imenso, um sentimento de solidão, uma tristeza, um desânimo, um cansaço físico, uma falta de tudo para prosseguir e por fim, uma vontade imensa de me afogar em lágrimas sufocantes.
- Consegues perceber o que estás a pensar?
- Estar com a minha mãe, desde que me recordo, sempre me fez sentir angustiada, culpada, como se algo de mal fosse acontecer. Não me sinto naquele chegar a casa, que sempre escutei os outros a falarem.
- Por que vais?
- Porque lhe devo isso. Porque apesar de tudo, tenho esse dever. Porque tenho que a proteger, acarinhar, mas ela não é fácil de todo.
- Qual a memória mais bonita que tens da tua mãe?
- Já pensei nisso muitas vezes, mas, todas as memórias envolvem um sentimento iminente de tragédia.Sinto uma falta tão grande de me sentir amada, sem ser criticada, ou me sentir culpada pela infelicidade dela. Estar com a minha mãe agrava os meus sentimentos de fibromialgia. Hoje, sinto-me triste, muito triste.
- Consegues reverter essa sensação? Terás que o fazer para sobreviveres, sabes disso... Não te podes permitir de outro modo, pois não existe nada por trás dessa porta.
- Tens razão. Tenho que trabalhar, agir, preparar-me para que as pessoas se sintam bem. Também me sinto cansada, acordei às quatro da madrugada, com os terríveis dos meus cães. Estive a tentar concentrar-me apenas na minha respiração, mas revelou-se intensamente difícil.
- Qual é o teu objetivo para hoje?
- Provavelmente, aproveitar esta tranquilidade triste para me sentir grata. Quero me sentir grata, muito grata. Quero aproveitar esta tranquilidade para me queixar menos, para falar menos. Quero aproveitar este desânimo para me sentir calma. Quero aproveitar esta tranquilidade para observar mais, pois sinto-me em modo lento, quase como se não estivesse no próprio corpo. Quero aproveitar esta lentidão emocional para desenvolver a fé, a imaginação, a paixão pela vida. Quero ser uma criadora de soluções, alguém que permite estabilidade aos outros e serenidade. Quero emergir em amor.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D