Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Da forma como leio o mundo

Da forma como leio o mundo

04
Jun18

...

Bárbara

A minha colega de trabalho deprimiu mais uma vez e lá veio a família toda em socorro. Afoguei-me na minha solidão de gente... Toda a minha vida alterou, considerando as funções e responsabilidades de cada uma e como me senti sufocada, sem soluções. Não é drama meu, é a realidade. Só sou dramática na escrita, na vida continuo a remar. Não tenho outra hipótese, caso caia, não tenho quem me levante. Já passei por várias fases, já a odiei, já me senti zangada, enfrentei-a e como sempre, reagiu com chantagem emocional, afirmou que ia embora, para eu ficar melhhor. Hoje, até fiz um intervalo na dieta como precisasse emocionalmente de me fortalecer. Amanhã volto ao rigor. Sinto-me tão cansada, trabalhei até sábado, o domingo passou a correr e hoje, também queria deprimir e desaparecer. Sinto que esta vida não é minha. Não tenho laços, não tenho compromissos, não tenho família presente, resta apenas um cão que amo. Quem me dera ter a vida dela, um bocadinho da vida dele, sentir-me em segurança só uns minutos por dia!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D