Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Da forma como leio o mundo

Da forma como leio o mundo

05
Abr19

Até sinto dificuldade em respirar

Bárbara

Recuso-me a aceitar este cansaço extremo, esta dificuldade em respirar, este cansaço de morrer. Digo que é do açúcar, da fibriomialgia, das 12 horas de trabalho, de não parar desde 2012, apenas digo porque o corpo tem que me obedecer, tem que se fazer gente, deixar de ser mimado. Não gosto muito das minhas fragilidades, das minhas incapacidades e de não ser magra e sobredotada. Só isso e já bastava para fazer o mundo caminhar na direção que o vejo!

De manhã, quando acordei, e felizmente o sono está a regular-se, desejei outra vida de tanto  cansada que me sentia. Lá me obriguei a ir ao ginásio, mais ou menos 39 minutos é o que tenho tempo de fazer diariamente. Corria para tomar banho, corri para o trabalho e aqui estou já há4 horas e ainda me faltam mais 8 horas a produzir, a criar , a fazer a diferença. Mas, queria que me passasse este cansaço, este estado emocional, esta falta de energia, esta vontade de me deitar e dormir. Vamos acreditar que a energia vai mudar!

 

04
Abr19

No fundo, hoje deixava a alma partir para outra vida

Bárbara

Hoje, estou de alma com muito menos energia. Há algo em mim, que parece forçar para esgotar a energia positiva, embrulhar-me em chocolate e desistir do dia. Infelizmente, não posso! Se eu faço isso, o meu emprego vai ao ar e eu vou para a rua. Comecei o dia a discutir com a minha mãe, pois hoje não consigo aguentar a energia dela, o egoísmo dela, a exigência dela. Fica a culpa a remoer-me porque não fechei o meu local de trabalho e fui passear com ela. Mas, hoje estou mesmo esgotada, parece não sobrar muito dentro de mim. Até as lágrimas teimam em não sair e ia-me sentir melhor.

Sei que vou ter que escolher acreditar, viver, mudar a vibração, ,as quero-me dar mais quinze minutos. Quinze minutos em que posso sentir pena de mim, em que posso sentir a casa vazia, o coração vazio e em que me vejo sempre a dar e nunca a receber. Sei que a vida é assim e aceito, mas hoje, uma manta, a netflix com séries parvas, chocolates gigantes e eu desaparecia do mundo. Ninguém se lembrava, somos tão rapidamente subbstituídos. Só hoje, queria-me perder em mim, emergir neste vazio e  deixar de ser gente. Mas, não pode ser, tenho que continuar a fingir, a olhar o outro atentamente, começar a fingir que o sorriso existe nm vazio sem naturalmente, não foi colocado. Gosto de trabalhar com pessoas e para pessoas, mas  hoje sinto um vazio sem energia, sinto-me carente, vulnerável, ninguém. Dias há assim, não é? Faltam cinco minutos para vestir o meu melhor humor e personalidade e lidar com o mundo, aceitar a minha invisilidade na entrega ao outro. Quando passam anos sem que recebamos um telefonema de alguém a perguntar como estamos, aceitamos quem somos para os outros e começamos a criar um valor para nós. Quem me dera me recolher em casa e receber a notícia que a minha próxima vida vai ser melhor. Quem me dera que me provassem que a minha crença é real, somos apenas caminhantes num percurso de melhoria, evoluíndo espiritualmente. Quem me dera que o pensamento positivo fosse verdadeiro e eu fosse apenas  uma história sem sentido, com data marcada para o final. Não falo da morte com receio, pois tenho demasiado em conta a minha alma. Apenas me canso demasiado de arranjar razões para continuar a viver. Reparem há demasiados anos não tenho ninguém do lado de lá da porta e do telefone e vou sobrevivendo. E reparem ninguém está realmente preocupado, observo as pessoas a viverem na sua pressa, para um segundo ou outro, mas não mais. No fundo, hoje deixava a alma partir para outra vida. Mas, não ia triste ou trágica, apenas ia descansar.

 

03
Abr19

A vibração

Bárbara

Ando-me a entupidr de livros e de audio de auto ajuda, mas, a energia está difícil de mudar. Talvez porque também ando a entupir-me de coelhos de chocolate que comprei para a caça aos ovos. Ou talvez porque a hora mudou, então sinto a minha energia reduzida, mínima, quase a entrar em coma. O medo, no meio desta confusão toda, tem vindo a crescer e não o posso permitir mesmo. Tenho provas de que se alterarmos a vibração, o pensamento, a energia, as situações de vida alteram. Não fosse este estado débil de nível de energia e ficaria uma guru fantástica. Mas, neste momento, temo adormecer. Resolvi apagar aquelas redes sociais manhosas, onde ainda retinha alguma esperança de conhecer alguém, que me acrescentasse. No fundo era uma falsa esperança receber aquelas notificações constantes do Ambrósio que visitou o meu perfil, ou do Pardal que pousou não sei onde. Terminei a minha relação com esses tipos de redes sociais, resolvi dedicar a minha vida à religião! Estou a brincar! Mas, quase que sim, acho que já não me recordo do ano, do último relacionamento. Inicialmente sente-se a solidão, depois, gradualmente, aceitamos, arranjamos dois cães, trabalhamos seis dias por semana, durante 12 horas, entupimo-nos de doces, aumentamos a zona abdominal, deixamos de pintar as unhas, mas ainda mantemos as raízes do cabelo e... seja o que o universo quiser. Hoje, estou a tentar ser grata, no meio do cansaço. Não me quero cansar, pois trabalho rodeada de pessoas , que adoram o drama da doença ou da vitimização. Então, eu quero ser rija, acreditar na cura, na vida, nas coisas boas. Hoje, vou persistir e vencer! A coisa positiva é que, após me entupir com pão com fiambre (sim, sim, e sou eu vegetariana, hoje fiquei faminta de fiambre e agora estou quase a vomitar de nojo), comi a minha salada feita em casa e o meu suminho de brócolos. Agora, vou tentar saltar no meu trampolim para subir a vibração e mais, resulta! 

02
Abr19

Olá, de novo

Bárbara

Já há muito tempo que não venho para aqui despejar sem filtro, como se não existisse um amanhã , nem efeitos sobre isso. Aqui estou eu, com menos ou mais peso, não faço ideia, qual foi a única agonia que partilhei. Neste momento estou mais próxima da minha família e estou a tentar testar a teoria dos autores e seguidores  da lei do segredo. Hoje, sinto-me, particularmente, tonta e fraca. Odeio, de coração, a mudança da hora. Já acordo às cinco da manhã, imaginem o meu estado walking dead, desde domingo. Agora ando numa nova etapa, resolvi entregar-me sem rede aos livros de auto ajuda! O que tenho a perder em aceitar a minha fé, a minha forma de amar o mundo, acreditar no poder da minha fé? Então, vou usar este blog para testar, vou acreditar em duas situações específicas, mas acreditar a sério, visualizar, criar, soltar e esperar. Vou acreditar na minha vida, na minha capacidade, em finais felizes. Então, para hoje, vou pedir um milagre, pode ser um pequeno, um médio, ou um grande. Apenas um milagre. 

Hoje, gostava igualmente de falar do pensamento. Realmente, concordo que o pensamento é deus e se nos derem à paz e ao trabalho de o escutarmos, é impressionante o que nos diz.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D