Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Da forma como leio o mundo

Da forma como leio o mundo

30
Nov18

...

Bárbara

Não pensem que estou sempre triste, geralmente, racionalizo, filtro, adoto outras estratégias para mudar o meu foco emocional. Simplesmente, escrevo quando não posso conversar com ninguém, pois não existe ninguém a quem possa recorrer. Hoje, a minha mãe faz anos e fui passear com ela. Encontrei-a a chorar, expliquei-lhe o quanto ficava triste sempre que me recebia assim. Fomos caminhar e tomar café, na impulsividade conhecida fez-me comprar cinco raspadinhas. Encontrei uma senhora que lhe disse o quanto ela era boa pessoa, nomeadamente, enquanto profissional. Gosto de ouvir dizer bem da minha mãe, faz-me sentir orgulhosae normal. Mas, tenho tanta pena de ela não ter sido boa pessoa enquanto mãe, por isso ninguém me entende quando comento o vazio nos afetos. 

20
Nov18

Um gato e uma loja online

Bárbara

Hoje, estamos numa de escuta da lei da atração. Qual é o problema de me lançar na fé? Tenho praticado a religião da negatividade durante tanto tempo, por isso, posso pensar que tudo pode acontecer. Não tenho nada a perder. Ouço vezes e vezes e vezes até que se interiorize. 

Ontem, fui passear com a minha mãe. Mas, depois vi um gatinho bebé a miar por baixo dos carros. Comprei um pão e lá fui na tentativa estúpida de conseguir que ele viesse até mim. Já vos disse que amo animais, mas tenho um  medo terrível destes. O gatinho foi passando de  carro em carro, apanhava o pão e fugia de mim. Entretanto, saiu uma senhora de uma das lojas da frente, mas era apenas solidária de palavra, enquanto passava o dedo nas redes sociais. Parou um senhor de fato e começou ajudar-me, até foi buscar fiambre. Parou outro senhor, bem mais novo do que eu, mas pelo qual nutre sentimentos matrimoniais, confesso e mais uma rapariga. Todos tentaram, mas o gatinho escondeu-se no motor do carro e não apareceu, mesmo quando conseguimos encontrar a dona do carro. Não teve o final feliz que eu gostaria que tivesse, fiquei com uma vontade imensa de chorar. Acabei por não estar com a minha mãe, ficou no café a falar com todos que passavam e a senhora do café fez uma cara de parva. Quem pode abandonar um gatinho assim? O que ia fazer ao gatinho? Trazia para aqui para o meu local de trabalho, apresentava-o aos  meus cães e logo se veria. Fiquei angustiada o dia inteiro, devia ter existido um final feliz. E não foi porque não insistíssemos, estivemos lá mais de quarenta minutos.

Hoje, já me irritei com uma das empresas de venda de materiais de construção e afins, bem conhecida de todos. Fiz uma compra online, de um produto apenas disponível online e efetuei o respetivo pagamento. Entretanto, fui contactada pela loja, que o site me obrigava a escolher, por ser a mais próxima, a comunicar que não tinham aquele produto. Questionaram se eu queria susbstituir o produto, ao que respondi negativamente. Informaram, então, que procederiam à devolução do dinheiro. Deste modo, fiquei à espera dias a dias, sem nada acontecer. Liguei para o apoio da loja online e fiquei duas horas à espera que atendessem, entretanto, fui obrigada a deixar mensagem e a pagar o respetivo custo. Como não foi possível através desse número contactei a loja que me informou que o valor seria restituído e, de uma forma bastante cínica, e quase sem me deixar falar, fui informada que as lojas físicas não tinham nada a ver com a loja online e sublinhava muito bem o "loja online", enquanto arredondava a pergunta, "entende?". Depois de me passar um bocadinho e subir o tom de voz para que fosse escutada, enquanto questionava se podia falar, expliquei também que já tinha ligado para a loja online, sem qualquer resultado. E só liguei para aquela loja, pois tinham sido eles a contactar-me, até introduzi um "minha querida". Acrescentei ainda que não tinha feito compras num site manhoso da china, mas num site online de uma loja, que se distribui por todo o país e por muito que lamentasse que a rapariga não lhe apetecesse aturar-me, de certeza que teria mais formas de resolução do que eu, bem como acesso aos colegas da loja online, de forma a restituir-me o meu valor, que retinham de forma ilegal. Notei do outro lado, um silência de ódio e a visualização de um objeto qualquer na direção do meu rosto. E é isto!

Acrescento ainda que trabalho comigo uma pessoa que tem duplo caráter. Passo a explicar, ora tem caráter, ora não tem. Observo um meio comprometimento, um meio compromisso. Porque no fundo, ela quer mesmo é abrir o mesmo negócio, onde poderá soltar a sua personalidade frígida. Entretanto, vai reprimindoa maldade, enquanto trabalha comigo e vai tentar envenenar qualquer imagem que eu tenha de qualquer pessoa, que esta entenda como ameaça à sua pessoa. Um dia explico melhor!

15
Nov18

cansada...

Bárbara

Não tenho espaço, nem tempo para chorar e carpir. Sinto-me, efetivamente, esgotada. Vi-me obrigada a desmarcar o trabalho de sábado para parar um pouco.Sinto necessidade de ter tempo para chorar, para encolher em posição fetal, para não recear o aparecimento de alguém e em manter uma determinada postura assertiva. Preciso de tempo para ter tempo. Preciso de tempo para me sentir gente, para me encontrar, para escutar os meus pensamentos. Preciso de parar, estou cansada de gente. De gente falsa, de gente manipuladora, de gente má, de gente. Estou a chegar um ponto de tal esgotamento que hoje fui buscar um código ao banco, alterei-o e já não sei qual é. Sinto uma nuvem no cérebro, como se os pensamentos estivessem por trás da densidade, como se fossem ruído, sem legenda. Sinto que estou a ficar louca. Sinto-me esgotada fisicamente, emocionalmente e espiritualmente. Sabem quando estamos ao ponto de disparar contra alguém? Cerro os dentes com todas as forças, coloco o meu maiore melhor sorriso, tento falar de forma controlada e meiga e só me apetece chorar ou agredir alguém. Já não aguento as pessoas, com os seus caprichos, egos, pedidos. Preciso de um tempo no espaço e um espaço com tempo. Compreendo quando as pessoas vão para as redes sociais partilhar o desespero, estou quase a chegar ai. Só me controlo, porque a minha parte profissional não o permite.

12
Nov18

Odeio chicos espertos

Bárbara

Ora vamos lá, que preciso recuperar as minhas energias positivas. Existe um certo tipo de ser humano, a quem designo de "chicos espertos ou chicas espertas", que me irritam profundamente. Pois, é tão óbvio a sua forma de ser e de agir, que só me apetece mesmo poupar algum discurso linguístico e testar a força de velocidade do meu braço esquerdo. Sabem aquelas pessoas que têm sempre um argumento para tudo, ou que já enviaram aquele tal mail, só que nós não recebemos, ou que passam mais tempo a tentar fazer-nos acreditar que a nossa visão está errada do que a agir? Ou ainda, aquelas pessoas que passam imenso tempo a reagir de forma vingativa, simplesmente porque foram confrontados com falta de profissionalismo ou caráter? A imaturidade emocional irrita-me imenso, pois associa-se a mau caráter e nem eu, nem ninguém tem que levar com isso. Para além da soma de várias situações com que tenho vindo a lidar de fontes distintas, vou exemplicar a mais recente. Eu- Bom dia, não me enviaram o documento que tenho vindo a solicitar desde sexta feira. A voz sem caratér: - Mas, foi enviado. Aliás, vou enviar novamente, até estou a escrever o texto. Eu: - Faça-me um favor, reenvie o referido da semana passada, pois quero verificar se estou com alguém problema no email. Não precisa de enviar um novo, uma vez que o está ver (o mail enviado). A voz imbecil: - Pronto, se não o receber, envie-me um mail de teste... E claro que não recebi mail nenhum reenviado. Depois temos aquela imbecil que sempre é confrontada sobre não ter feito algo, tem sempre uma desculpa igualmente imbecil, tipo "tapa olhos" para ver se nos cala e nAgora, digam-me lá, pessoas que funcionam assim, não merecem uma inós ficamos assim a observar altar da imbecil. feção urinária de vez enquando? Cansada e irritada com pessoas mentirosas, sem caráter e com a mania que são mais espertas do que as outras, apenas porque são corretas e éticas. Ainda continuo irritada, para me passar, teria que prolongar este pequeno intervalo e descrever cada comportamento com que tenho lidado! Paz e amor!

09
Nov18

Nada de especial e várias coisas

Bárbara

Difícil é manter a fé no decorrer do tempo. Estamos demasiados habituados ao imediato e tudo o que precisa de enraizar crença, conduz-nos à frustração. Continuo a fazer meditação, a afirmar, mas, confesso, a chuva e o frio também me afetam e me fazer sentir pena de mim própria. Ontem, por exemplo, estava cansada, com pena de mim própria, zangada com o mundo e com vontade de agredir violentamente as mulheres que trabalham comigo.No fundo, não gosto delas o que me irrita em mim própria, ou que já alterei com muito esforço e contrariada. Vou dar um pequeno exemplo, no início da tarde vou sempre levar os cães a minha casa, mas vou a pé, mais saudável, gosto e ajuda a diminuir esta imensa zona abdominal. Pois bem, como a pessoa que trabalha comigo tinha estacionado o carro em zona com pagamento, não imaginam a preocupação que manifestou para que eu não apanhasse chuva. Claro que o meu carro estava mesmo estacionado à frente do local de trabalho. Outra coisa que me irrita sao aquelas mulheres que recebem eogios e ficam com ar de sonsas. Ó pá, retribui que somos todas filhas de deus!

Tenho trabalhado como uma louca, dormido pouco e passeado com a minha mãe. Pedi à minha irmã para ir ter com ela na quarta feira, pois eu não conseguia. A resposta? Uma longa declaração de boa vontade, a explicar como tinha todo o tempo ocupado, por causa dos filhos, como a vida era ocupada e por aí. Respondi-lhe que também eu estou esgotada, mas a minha mãe se encontra nos últimos anos de vida e está dependente para passear. E é assim!

Mais alguém morre de vergonha na cara porque não consegue levar os cães ao verterinário? Eu tenho que pedir sempre a uma amiga. Nas primeiras vezes ainda o levei e a minha ansiedade atingi um nível de ansiedade tão elevado, que o meu cão treme como eu.

Li um exercício fantástico realizado por um grande senhor. Nas suas sessões de coaching pede sempre para que as pessoas façam de conta que são quem querem ser. Os resultados são fantásticos segundo o mesmo.

Qual será o mecanismo que faz com que as pessoas não cumpram as funções básicas exigidas. Imaginem que envio recados diários com mensagens do género: levar o lixo, arrumar as capas... Será que o problema é meu? Tenho um brio tão grande a nível profissional. Detesto errar e perder tempo. Detesto a forma como os portugueses trabalham.

Para finalizar, que deve estar a chegar gente. Quero mesmo, mesmo apaixonar-me.

06
Nov18

vida de tédio

Bárbara

Ó tempo malvado, deprimente, solitário, que me faz odiar quem sou. Faço tanto por lutar, ter sucessso, ser alguém e parece que isto não anda, não evolui, não se transforma. Sei que a responsabilidade tem que ser minha, mas preciso de conseguir ver um pouco mais além do que aquilo que a angústia me revela hoje. Preciso tanto, mas tanto de algum feedback do universo, sinto uma solidão tão imensa. Ontem, ofereci à minha irmã audar a minha sobrinha na minha área profissional, mas como sempre a resposta foi negativa. Sinto-me também cansada de tentar motivar as pessoas que trabalham comigo, com as suas guerrinhas, subjetividades, egos imensos. Sei que fica tudo com dor no peito quando o afirmo, mas odeio Portugal em contexto laboral. Esta maniazinha de misturarmos o ego com o contexto laboral. Visitei a Holanda há 20 anos e encantei-me com o lado deles social e prático. Em Portugal, e já passei por imensos locais, as pessoas não estão focadas no que têm que concretizar ou produzir, mas ficam presas à estupidez do ego, ao egocentrismo e não se focam no que interessa. As pessoas, na sua maioria, são incapazes de perceber o mundo no plural, é tudo muito singular. Cansada hoje, vontade de puder parar, talvez porque tenha trabalhado também no domingo de manhã. Vida de tédio esta! Canso me a mim própria

02
Nov18

Coração apertadinho

Bárbara

Estou frágil e com o coração apertado. Recebi, ontem, uma mensagem da minha irmã a dizer para eu não pensar que me ignora e que não valoriza o que faço. No entanto, foram as únicas notícias que tive dela, apesar de todas as mensagens que lhe mando. Hoje, fui buscar aminha mãe para darmos um passeio. Inicialmente, estava tão querida e depois foi alterando o humor e acabou a criticar as minhas calças, enquanto eu esperava por ela na casa de banho. Ontem, foi feriado e não consegui descansar. De manhã, tive que colocar gasóleo nos carros de trabalho e fazer compras para o trabalho. Depois, tentei ler e dormir, mas tenho dois cães que brincam em cima do meu rosto e deitam-se a dormir em cima de mim. Sinto uma tristeza imensa, já conhecida e familiar. Sinto-me sozinha e muito cansada. Li tudo o que me foi possível, ouvi tudo o que consegui. Aquele desânimo que surge na ausência de um milagre que faz barulho? É isso! A necessidade de me sentir cuidada, abraçada, amada, importante para alguém? Sinto uma vontade imensa de chorar e não posso, não tenho tempo, pode surgir alguém. Apeteciaa-me estar quietinha, nom sofá, com o calor do aquecedor a bater e a ver tudo o que fosse filme e me fizesse chorar. Hoje, queria ter tempo para ter pena de mim e nem estou com o tpm, pelo contrário.

Já vos disse que trago os meus cães para o meu local de trabalho? Tenho essa sorte, mas como são muito barulhentos, tenho que os levar a casa no início da tarde. Para os transportar comprei uma grande mochila, o que me torna ridícula, nos olhos das pessoas com quem me cruzo. Imaginem ouvir um ladrar irritante nas costas de alguém...

Hoje, queria um abraço de alguém que cheirasse bem e me quisesse bem.

Hoje, sinto-me muito vazia de afetos. Isto já passa, é obrigatório que passe, não tenho outra hipótese, tenho um barco para levar para a frente, por isso vou controlar-me nas minhas afirmações positivas: 237.000€ estão a caminho da minha conta, os 65 kg estão a formar-se no meu corpo, o meu audi lindo e bege está nas minhas mãos, o meu marido companheiro com dois filhos vem naminha direção, o meu negócio maravilhoso está a prosperar, a evoluir, a crescer, e eu serei a melhor profissional, na minha terra. Eu consigo!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D