Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Da forma como leio o mundo

Da forma como leio o mundo

31
Out18

Eu acredito em mim e no mundo

Bárbara

Eu acredito em mim e no mundo. SÓ HÁ MESMO ESSA ESCOLHA! Quem me dera conseguir ter a sabedoria com que vou morrer, interpretar o que os outros dizem como o farei, observar quem admiro como o farei, conhecer-me e compreender-me, com toda aquela tolerância e paciência de quem já espera segredos de uma próxima vida. Acredito mesmo que vivo para evoluir enquanto ser humano e encontro-me constantemente com a certeza em aspetos a necessitar de atenção.

Estou tão grata por amanhã ser feriado, nem imaginam a necessidade que tenho de descansar e acredito que tal acontecerá.

Tenho tentado ouvir o meu pensamento, efetivamente, responde-me com bastante sobriedade.

Hoje, acordei cansada fisicamente, mas com certezas na vida. Eu acredito em mim e no mundo e esta paz que estou a sentir, vale o mundo.

Hoje, acordei grata e com a certeza que o amor está a caminho, bem como toda a concretização dos meus sonhos. E o medo é só isso, medo.

30
Out18

Odeio esta altura do ano

Bárbara

Hoje, preciso de uma energia extra, qualquer informação que me faça recarregar as energias e a fé. Novidade, não é? Tenho ouvido audios , tenho lido livros, tenho gritado para me motivar, mas acabo por me sentir cansada e sem energia. Gostava de ter uma claque embutida, que aparecesse sempre que começo a hesitar. Tenho feito tudo direitinho, tenho tentado substituir alguns comportamentos, como me queixar das pessoas, ou ver só os aspetos negativos. Tenho tentato cumprir os 10 mandamentos e tudo o mais, que me faça sentir que vou para o cèu. Todos os dias vou ao ginásio bem cedo,mas bem cedo mesmo e, enquanto me agarro com todas as forças durante 25 minutos à elítica, faço exercícios de afirmação positiva, de visualização, de imaginação, até me observo a falar sozinha. Odeio esta altura do ano, até meados de novembro as energias ficam pesadas, negativas, as pessoas revelam o pior delas, mostram-se manipuladoras. Geralmente, as piores coisas que me acontecem é em novembro, nomeadamente incêndios, mortes e, sem falar de que ainda consigo engordar mais.Este ano prometi a mim própria que vou alterar esta crença.

25
Out18

Hoje, sinto-me muito sozinha

Bárbara

Sinto-me tão sozinha neste mundo empresarial! Parece tão ridículo dizer isto deste modo, pois sou uma falida. Estou possuída com o contabilista e a porcaria de seguros que pago.Hoje, gostava de ter uma sócia, que não me caísse tudo sobre mim, as decisões, os problemas, as tarefas, a resolução de conflitos, a lambidela de egos. Estou com uma vontade imensa de chorar e ainda tenho duas horas pela frente a lidar com as pessoas. Hoje, sinto-me muito sozinha e queria ter tempo para chorar. Queria chegar a casa e encontrar mais do que dois cães, que amo é certo, quero encontrar um companheiro que me dê um abraço, quero ter alguém que resolva alguma coisa por mim, quero alguém que me escute e que me deixe chorar. Não serei, com toda a certeza, a pessoa mais solitária do mundo, mas sinto-me. Quero chegar a casa e encontrar uma casa cheia de família, cinco filhos e a casa toda desarrumada. Quero me sentir cansada de amor e não de responsabilidade. Vivo em tanta fé, nem têm noção, mas só queria ser gente, gente que se pode queixar,que tem claque para o ego, que não tem que estar sempre a reconfortar tudo e todos. Procuro tanto que todos se sintam felizes e depois espero, confesso com toda a verdade, espero mesmo receber um pouco de afeto, um abraço, uma validação que vale a pena respirar. Sinto-me tão sozinha hoje, no meu coração grita o sucesso, não me limito ao fracasso, mas sinto-me  sozinha. E é nestes momentos que o queria mesmo, mas mesmo era desaparecer. O mais engraçado é que não faria mal, apenas para os meus dois cães, os restantes acabariam por reorganizar a sua vida e falariam com uma saudade absolutamente suportável. Hoje, apetecia-me mesmo ter tempo para chorar.

24
Out18

Parece estranho, mas tenho que me formatar

Bárbara

Parece estranho, mas tenho, efetivamente que me formatar. Na segunda senti-me imensamente doente e para parar um dia e meio foi terrível. Isto de se ter um negócio próprio limita em quase todos os aspetos. Conseguir que alguém me viesse substituir um bocadinho aqui, outro ali parecia que estava a pedir um rim. Depois de ter conseguido essa substituição, com favores até à morte apesar de paga, seguiu-se o contacto frequente com perguntas que poderiam ser evitadas. Sim, não existiu calculismo, apenas incapacidade de se colocar no meu lugar. Cansada, exausta, tonta, só precisava de para 24 horas sem ter que pensar, decidir, vigiar, controlar, pensar... E nestas circunstâncias tenho a certeza da minha preferência em trabalhar para outra pessoa. Hoje, tive que fazer vários excercícios para me motivar e sair de casa. Resultou! Fui buscar a minha mãe para passear e está com um humor amargo, azeda e com vontade de dizer palavrões a quem se cruza. Sempre que a vou buscar chora, já lhe perguntei o porquê, responde como sempre respondeu, argumentando com a pior vida do mundo. No fundo, não é novidade, sempre o fez, desde que me conheço, fechada no quarto, gritava, enquanto chorava. A partir de determinada altura, já fazia de conta que não estava acontecer. Hoje, refleti enquanto procedia à minha leitura diária para o meu crescimento pessoal, que me preciso formatar completamente. Eu não sei viver! E refiro-me a situações simples que aos outros parece surgir da intuição. Eu não sei estar com pessoas, para além do meu contexto profissional. Eu nao sei mudar a minha vida, apesar de tanto pesquisar, tanto ler, tanto ouvir, tanto comprar. Quase que sinto necessidade que esta vida acabe para começar uma nova, uma diferente, com uma infância diferente, onde me sinta pertença em coisas básicas. A vida é difícil para mim, compreender as rotinas dos outros, as burocracias, as mentiras, a falta de caratér, quando saio da minha zona de conforto, de compreensão, tudo se torna demasiado difícil. Aí ou vou na imitação e igo os outros e nem sempre consegui os melhores modelos, ou fico parada sem alternativas. E tudo aconteceu desse modo, emocionalmente, relacionamente, profissionalmente. E depois de ver uma forma de fazer as coisas, já não consigo generalizar, flexibilixar. Tantas limitações as minhas! Preciso de fazer uma formatação à séria!

19
Out18

Pessoas vingativas

Bárbara

Tenho muita dificuldade em lidar com pessoas vingativas, por vários motivos. Em primeiro lugar, porque para se ser vingativo tem que se conseguir dispender bastante energia com foco no mal e ninguém pode ser feliz ao dirigir atenção ao mal. Em segundo lugar, porque ser vingativo implica uma escolha, ou seja, exige uma conduta calculista, premeditada e, muitas vezes, divulgada toxicamente e isto deve cansar tanto e implicar tanto esforço, que um "deixa para lá" e "vou ser feliz" se torna muito mais fácil. Em terceiro lugar, porque, geralmente, as pessoas vingativas têm pouca capacidade de se perceberem nos erros com outros e bastante tendência para o carpir contínuo e para a vitimização, ou seja, nunca percebem porque os outros se encontram zangados ou aborrecidos, justificam sempre as situações de forma extrínseca e fora do seu controlo. Em quarto lugar, porque ser vingativo demonstra a nula capacidade de perceber o outro e perdoar e por isso existem ditaduras, guerras, etc. Daí que, eu tenha bastante dificuldade em lidar com quem se agarra, com todos os tentáculos de uma baixa inteligência emocional, ao seu umbiguinho. E que todos nós tenhamos abertura para um bom desenvolvimento emocional!

18
Out18

Meu deus, serão carraças?

Bárbara

Então, é assim (adoro esta frase, carregadinha de arrogância), eu tenho dois cães, que amo, mais do que tudo na vida. Mas, na verdade, é a primeira vez que tenho cães e não percebo muito sobre o assunto, apesar de ter o primeiro há mais de um ano e a segunda há dois meses. Deste modo, e só para ter uma noção do meu histerismo ignorante, na primeira vez que o meu cão teve uma ereção, ou seja ficou com a sua pilinha estranhíssima, telefonei em pânico a uma amiga, a pedir para ir comigo ao veterinário, pois o cão deveria estar com uma infeção gravíssima. De  terça para quarta fiquei esgotada. O meu cão está com uma bolinhas estranhas na pele e apercebi-me, enquanto lhe fazia festinhas. Comecei a sentir-me em pânico a pensar que poderiam ser carraças. Nunca vi uma carraça, não faço ideia de como se apresentem na pele dos cães, entãao, fiz o que todos fazemos e fui pesquisar ao santo google. Obviamente, uma hora depois, já à uma da manhã, estava horrorizada, enjoada e sem sono nenhum. Os vizinhos devem odiar-me, pois passei a noite toda a lavar na máquina tudo o que fosse manta, lençol, edredon! Tudo mesmo! Passei a noite em claro, mas ainda fui ao ginásio! Mandei abaixo o shot de vitaminas e lá fui eu! Depois, cheguei ao local de trabalho e descobri que a nova colaboradora me anda a enganar nos km que faz no carro da empresa. Conclusão? Como tive acesso ao carro, apercebi-me que há uma diferença de mais de 200 km do que ela regista e do que o carro apresenta. Pois, no meio de lágrimas, diz-me que não sabe explicar, mas garante que nunca usou o carro para além do definido. Aliás, até se sente desconfortável quando lhe digo que deixei confiar nela. Mais uns minutinhos e quase tinha que pedir desculpa por ter constatado esta situação, não? As pessoas e as sua falta de valores! Ah! O cão vai hoje ao veterinário, mas não anda doente, continuar a dar-me cabo da cabeça e a desarrumar tudo! 

16
Out18

Terça feira e procuro um milagre!

Bárbara

Terça feira e procuro um milagre que me vire o humor. Não imaginam a energia gasta para mudar esta sensação que odeio de falta de tudo. Hoje, não consegui ir ao ginásio e ontem enchi-me de batatas fritas com molho de francesinha. Fui, mais uma vez, buscar o conforto do útero à compulsão alimentar. Vim mais cedo trabalhar e fi-lo de forma compulsiva, sem respirar, para tentar não sentir este desconforto. Por favor, que seja o raio da tpm! Parei uma hora e meia para ouvir alguém que me procurou para falar. Fiz com que atrasasse as tarefas definidas para hoje, mas fi-lo de coração, escutei a sério. Agi como gostaria que fizessem comigo. Sinto-me realmente cansada fisica e emocionalmente. Não vou parar, não vou desistir, apenas me sinto assim cansada. Faço de conta que pertenço a esta vida, a esta rotina, mas sei que isto não é verdade.ouço, sem parar, audios sobre motivação, atração, pensamento positivo, mas, na verdade, sinto-me meia perdida, preciso de um dia da vida!

15
Out18

...

Bárbara

Hoje, sinto-me cansada, mas mesmo cansada e ainda só é segunda feira. Reparo, efetivamente, que o facto de trabalhar ao sábado me deixa bem mais esgotada. Sinto falta de tempo de mim. Dias há em que sentimos pena de nós e podemos, dias esse é. Sinto-me vazia de reforços de afetos, sinto-me vazia de família, sinto-me vazia de companheiro. Tento fazer tudo direitinho na vida, não magoar ninguém, não mentir, não roubar, não trair... Tudo isto imposto pela moral, mas também numa tentativa de que o mundo não mexa comigo. Hoje, sinto-me ninguém. Hoje, estou cansada desta vida eco de amor. De chegar a uma casa vazia após ter trabalhado 12 horas, de passear com a minha mãe, mesmo sem me sentir amada. De enviar mensagens às minhas irmãs sobre assuntos que acho que lhes vai fazer bem. Hoje sinto um peso no coração, um peso sem quantidade, um peso sem validade, um peso sem esperança de morte. Tenho que racionalizar, assumir o controle, mas está complicado. Sinto-me orgulhosa de mim própria, por estar tão sozinha desde sempre, completamente desde os 29 anos, por ter saído do desemprego e ainda conseguir ter o meu negócio, por sobreviver, por me levantar todos os dias e me dirigir ao mundo. Mas, hoje, sinto-me particularmente pequenina, sem colo, sem abraço, sem mim e sem ninguém. Cansada de que não me sequem as lágrimas, uma só vez. Uma só vez poder carpir, lamber as feridas sem ter que lutar! Hoje, queria poder sentir pena de mim, sem pena de ter pena. Hoje, queria que esta vida morresse e gostaria de nascer numa vida de afetos, onde me ditariam o amor na forma real. Hoje sinto uma dor de partida, mesmo sabendo que ninguém daria conta.

Hoje, quero desaparecer, sem rasto.

10
Out18

Mudar de vibração!

Bárbara

Passam-me mil pensamentos pela mente, mil ideias, de forma descontrolada. Quero fazer mil coisas, criar, ser mais e perco-me nas coisas do nada. 

Terceiro dia em dieta rigorosa, mas mesmo, mesmo assustadora e já esperava me ver nas montras com menos 20 kg. Lá chegarei. 

Ontem, foi um dia não, mas segurei-me. Nos dias em que vou passear com a minhamãe, sinto-me esgotada. Por isso, tenho que arranjar uma estratégia para dar a volta e continuar. Não a vou deixar sem passear e não posso deixar de trabalhar. Mas, hoje estou cansada. Tenho dormido muito pouco e tenho trabalhado muitas horas. Às 5.30h estou acordada, tenho feito o esforço de ir 40 minutos ao ginásio por voltas das 7 horas, pois sei que me faz bem. No trabalho parece que há sempre algo para fazer e em casa igual. Hoje, estou cansada por isso tenho que dar a volta a estes pensamentos. Vou ouvir uma música que me motive e vou dança. Esperem um bocadinho. Efetivamente, após dançar shakira e os wham, voltei ao espírito das matinés. Li algures, ou ouvi algures que isto aumenta a vibração e me coloca onde devo estar para conseguir alcançar os meus objetivos.E funciona, sinto-me outra, apesar da dor de cabeça, mas ligeira, apenas ligeira! E agora que não consigo gravar músicas no telemóvel e a minha play list já me deprime. Preciso de uma solução urgente!!! Hohe, está complicado mudar a vibração, quase como se estivesse um grupo de pessoas, algures no mundo a focar a má energia na minha pessoa. Mas, vou lutar!

09
Out18

Pensamentos, regras e eu na luta

Bárbara

O que se passa com as pessoas e com a dificuldade em cumprir regras? Mas, o que as impede de perceberem que as regras nos facilita a vida, nos orienta, nos dá tranquilidade? Irrita-me, profundamente, este hábito do quebra tudo, como se nos tornasse maiis espertinhos, ou superiores aos outros.

Ao segundo dia começa-se a fracassar pelo cansaço. Tenho tentado ouvir o audio do livro "Pense e enriqueça", mas o homem tem uma voz estranha, parece que está no fundo de um poço. Obviamente, que o faço, enquanto faço mil coisas no trabalho e a sensação é como se tivesse saído de um exame de matemática.

Ontem, equilibrei as energias com a nova colaboradora, ainda não fez um mês e já me irrita. Sim, tenho, com toda a certeza que equilibrar algumas coisas em mim, mas, caramba, que ego. Por vezes, não consigo passar para as palavras as sensações experimentadas e as situaçoes vividas. Ainda ontem, por exemplo, antes de terminar o horário laboral, longo muito longo, deu-se uma situação de conflito com um cliente, provocado por ela e após eu ter discutido e resolvido a situação, sai-se com um "vê, tive que ser eu a salvar a situação".  Eu tenho um sério problema, é que não consigo disfarçar falta de amores e a minha vontade foi estender para trás o braço e tumba com toda a força, logo ali no meio da testa dela. O problema é que passo tanto tempo a fazer as atividades que lhe competem, que quando chego as minhas, já fiz anos outra vez.

Sei que tenho que me focar no positivo, e esta é a aprendizagem para hoje, mas primeiro tenho que cuspir este veneno, que o processo de aculturação instalou algures no meu sistema nervoso. Este mês pretendo alterar dois hábitos: 1. Alimentar (pedir o divórcio aesta relação que tenho com a comida, para evitar sentir este vazio imenso na minha vida); 2. Verborreia e pensorreia (deixar de falar mal das pessoas gratuitamente, mas principalmente, deixar de pensar mal das pessoas). Tanto um como o outro me causam angústia só de pensar em os abandonar, exatamente como quando me comecei a mentalizar que ia deixar de fumar. De forma errada, o meu cérebro acha mesmo que preciso de comer commpulsivamente e preciso de pensar muito negativamente, desviando-me do essencial: ocupar o tempo com qualidade e organização; gostar de mim fisicamente e pensar sempre com luz.

Para hoje, focar-me no relevante, em mim e  estar sempre atenta aos pensamentos, para que não me deixe engolir por eles. Força e aí vamos nós! Já volto,se tiver cinco minutos!

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D