Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Da forma como leio o mundo

Da forma como leio o mundo

30
Nov18

...

Bárbara

Não pensem que estou sempre triste, geralmente, racionalizo, filtro, adoto outras estratégias para mudar o meu foco emocional. Simplesmente, escrevo quando não posso conversar com ninguém, pois não existe ninguém a quem possa recorrer. Hoje, a minha mãe faz anos e fui passear com ela. Encontrei-a a chorar, expliquei-lhe o quanto ficava triste sempre que me recebia assim. Fomos caminhar e tomar café, na impulsividade conhecida fez-me comprar cinco raspadinhas. Encontrei uma senhora que lhe disse o quanto ela era boa pessoa, nomeadamente, enquanto profissional. Gosto de ouvir dizer bem da minha mãe, faz-me sentir orgulhosae normal. Mas, tenho tanta pena de ela não ter sido boa pessoa enquanto mãe, por isso ninguém me entende quando comento o vazio nos afetos. 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D